Arquivo do autor:rafaelbbraz

Eu te entendo

Era um recém casal, fazia pouco que se tornara isto, ainda naquele momento de tentando entender as entrelinhas, os tempos corporais, os ritmos de vida um do outro.

Em uma manhã qualquer, ele recebera um convite para uma festa de gala, em que  estariam todos os seus velhos amigos: aqueles com quem não tem contato há muito tempo, aqueles que estão próximos sempre, e aqueles que, mesmo distante há anos, sempre estiveram próximos.

No dia do evento, ele a ajudara a escolher o melhor vestido, o melhor sapato possivel para aquela ocasião. Afinal, ele ainda estava inseguro com o relacionamento, e com o reencontro com todos, na perspectiva de “Como será que aquela pessoa está?”, ele queria aparentar bem, e que ela também assim estivesse.

Ao sair do apartamento, ela, elegante com um vestido lindo e de salto alto, caminhava ao lado dele. Para agilizar as coisas, ele foi caminhando um pouco mais rápido, para chamar o elevador, pois no prédio onde moravam havia uma pequena caminhada e alguns degraus de escada.

Ele chamou o elevador, e ao olhar para trás, viu aquela linda mulher que vinha ao seu encontro, naquele momento descendo as escadas. Ela terminou o caminhar e o abraçou. Ele, sem muito pensar o porquê, pediu desculpas por não a ter ajudado a descer as escadas com o salto. Ela sem entender bem, respondeu okay.

Mal sabia ela que aquelas desculpas eram por todo o conjunto de pensamentos machistas e sexistas que, ainda que bem fugazes, lhe estavam preocupando – e não realmente por não ter lhe ajudado a descer as escadas.


Os que tiveram a minha idade

Em nossa espécie, quando voltamos a viver neste planeta, a cada novo ano de vida, recebemos uma nova casca. Trata-se de algo como um exoesqueleto padronizado, de modo que somos todos exatamente iguais fisicamente daqueles que tem a mesma idade que nós. Para nos diferenciar, temos apenas a nossa voz, e nossa personalidade.

Este método nos trouxe alguns beneficios, não temos mais discriminção por qualquer diferença física entre nós – afinal somos todos destes tipos predefinidos, somos realmente tratados como iguais.

No começo, tivemos dificuldade para adaptar, o conceito de família acabou com o tempo e deixamos de ficar atraído fisicamente pelos outros. Tínhamos que conhecer para criar uma atração ou então nos relacionaríamos com qualquer um. Ao longo dos anos, aprendemos a lidar com isso.

Quando eu estava para chegar a fase adulta, aconteceu um assassinato, coisa que não acontecia a mais de 5 mil anos. Para deixar a coisa ainda mais confusa, descobriu-se que uma arma foi utilizada, e armas não existem mais desde que voltamos para este planeta.

Com aquele assassinato, não tivemos como de saber quem realmente tinha morrido, apenas que tinha a mesma idade que eu. Aquilo gerou toda uma mudança nas coisas: para os mais velhos, era como se toda a nossa idade tivesse morrido tambem; para os mais novos, era a idade que não existia.


Acasos

A empresa onde Lucas trabalhava iria realizar uma pesquisa em varias partes do Brasil, mas, por acaso, o funcionario agendado estava com ciática e, como não podia mexer, Lucas fora em seu lugar. Havia 23 lugares possiveis lugares para sair naquela noite na nova cidade mas, por acaso, Lucas elegera o bar onde Geovana estava. Por acaso, ficou entediado com o  movimento interno do bar e resolveu fumar seu último beck, comprado na noite anterior – não tinha muito, mas o suficiente para aqueles dias. Por acaso, o assunto tratado na área de fumante, com seu amigo, era a tatuagem que ele talvez fizesse na volta daquela viagem. Geovana não fumava, mas, por acaso, estava acompanhando suas amigas na area de fumantes. Por acaso, conversavam sobre os melhores tatuadores da cidade e ela disse que, dependendo do tipo de tatuagem,  poderia indicar um conhecido a uma delas. Lucas deu então inicio a uma conversa, que fluiu quase como natural.

Ao retornar a sua cidade, como para esquecer aquele relacionamento quase que relâmpago, instalou o Tinder, deu match e saiu com a primeira que aceitou o seus desalinhados cortejos.

Foi necessária toda uma serie de seis acasos para fazer chegar Lucas até Geovana, e se a estivesse buscando sozinho, nunca poderia encontrá-la. Para o próximo encontro, acaso nenhum.


Alvo

Marque o seu alvo!
pronto…?
Agora nem você está a salvo!