Eu tenho sorte

Uma vez me disseram “você tem sorte”.

Falávamos de trabalho, de oportunidades, de desenvolvimento profissional e aí fiquei sem graça, pois meu colega tinha algumas dificuldades nesse âmbito – e talvez ralasse até mais que eu, no quesito “quantidade de trabalho”. Então fiquei um tanto quanto sem graça, por que sorte não é algo que a gente escolhe ou não ter, não depende da gente… Acho que tive sorte de ter sorte.

Mas aquela conversa ficou na minha cabeça, rondando os pensamentos, encomodando minha calma. Como assim sorte? Eu nunca ganhei um bingo sequer, nunca fui sorteada na escola e das vezes que joguei na loteria, nem trinca eu fiz. Não conheço pessoas influentes, não tenho QI de berço; fui conhecendo gente, fui fazendo e acontecendo, tentando, tentando e tentando.

Espera.

Não deve ter sido sorte não. Eu fui atrás, eu procurei, eu abri meus olhos, braços e ouvidos para o que as pessoas ao redor tinham pra me dizer. bati muito a cabeça, dei alguns murros em ponta de faca, fiz meus sacrifícios. Então não foi sorte, foi estar aberta aos que tinha pela frente, foi de dizer “sim” pra mais coisas, pra coisas diferentes, pra coisas que pareciam não dar em nada.

Então voltei para aquele meu colega, cheia de mim, sabida de que meu trabalho me enobrecia!

– Não tenho sorte! Eu fiz diferente do padrão, fiz por merecer, isso sim.

– Você tem sorte de ter opção pra poder merecer.

Na hora, fiquei sem entender o que aquilo significava, mas depois entendi tudo e mais do que toda a percepção que captei da minha própria história, mais do que aprender com meu passado e me posicionar melhor para o futuro, essa resposta foi a maior lição. Ao voltar para casa, passando pelas favelas do bairro onde moro, notei que muita gente não tem nenhuma chance de fazer diferente para ser merecedor, pois ninguém lhes dará a credibilidade de tentar, ninguém talvez olhe para eles ; muitos não tem sequer opção: é o que tem para hoje, amanhã e sempre.

Ao constatar essa verdade, não consegui sorrir, pois o meu sorriso significava o choro de tantos outros: eu tenho sorte.

 

Sobre Bia Bernardi

Bia Bernardi é escritora e gosta de ler livros de temas diversos, adora música, pra dançar ou só ouvir, e gosta de estar com quem gosta. Ver todos os artigos de Bia Bernardi

Uma resposta para “Eu tenho sorte

  • Marina Costa

    Por essas e outras que a gente percebe que ás vezes basta um sorriso, um abraço, um “você consegue”. Sem ver a gente muda uma vida. Sem muito esforço a gente muda um teco do mundo!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: