Pequena (grande) guerra conjugal

Roberto e Eliene vão comprar uma nova geladeira. Mas não é tão simples assim. Eles são os únicos na família e no círculo de amigos que ainda não tem uma geladeira duplex de inox e frost free, esse tratado da era moderna do consumismo. Não ter uma geladeira dessas pós-IPI reduzido é considerado uma derrota pessoal para Eliene, que evitava tocar no assunto explicitamente com Roberto.

Roberto não queria uma geladeira com filtro. Eliene insistia que o custo-benefício era muito grande para ser desprezado. Roberto sempre brincava com o questionamento: “O que é grande? O custo ou o benefício?”

Eliene nunca achava graça.

Aos poucos, amigos e familiares foram tomando parte. As mulheres mais velhas do clã achavam que Eliene estava certa em se mostrar irredutível. Na avaliação delas, a esposa de Roberto já havia sido complacente demais com o atraso do marido. As amigas de Eliene ressalvavam se não havia outro eletrodoméstico mais premente em demanda na casa ou se não seria possível, afinal, abrir mão do refrigerador com filtro por uma duplex de inox frost free convencional. “Se é que podemos chamá-las assim”, atentou uma.

Eliene era refratária às tentativas de demoção.  Mais ou menos como Roberto que achava um absurdo, confidenciava a quem tivesse a infelicidade de perguntar por que ele andava tão pensativo, pagar R$ 6 mil, R$ 7 mil em uma geladeira com filtro. Na lógica de Roberto, era possível comprar uma frost free (não haveria necessidade de ser duplex), um filtro e até uma cervejeira e sobrar um troquinho.

A discórdia era tamanha que Roberto e Eliene passaram a dormir em fusos diferentes. Uma intervenção foi convocada. Uma assembleia composta por familiares e amigos mais próximos tentaria se incumbir de resolver aquele imbróglio que começou como uma quizumba familiar e já ganhava contornos de pré-divórcio.

Depois de muitos desentendimentos e discussões entre quem não tinha nada a discutir, convencionou-se que aqueles ali reunidos vão presentear o casal com um refrigerador duplex de inox frost free. Mas sem filtro. Caro demais para um presente. Roberto riu por dentro. Eliene disfarçou, mas chorou tão logo pôde.

Anúncios

Sobre Reinaldo Glioche


2 respostas para “Pequena (grande) guerra conjugal

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: