As muito feias não perdoam


Se você não é nem muito bonita, nem muito feia, vai ficar sem sexo e sem casamento. Porque os homens pegam as muito bonitas só para diversão, mas se casam é com as feias. E na fase dos quase trinta em que me encontro, eles já estão em busca das feias.

Isso porque as bonitas não regulam pra ninguém. Não vêem nada demais em ir pra cama no primeiro semestre, no primeiro mês ou no primeiro encontro. E essas são mais divertidas. É com elas que eles vão brincar mesmo.

Só que  na hora de montar casinha, eles vão atrás das meninas feias e sérias, que não dão para ninguém, ou quase ninguém, seja por economia – algo a ver com a relação entre oferta e demanda, diria a oposição – ou por convicção, que nesse caso se divide entre religiosa e estratégica. A convicção religiosa coloca como pecado conhecer um homem antes do casamento; enquanto a estratégica considera que os homens querem levar alguém santa como a mãezinha pro altar. E aí, as muito feias ganham. De virada. As assim-assim tomam um baile duplo.

Enquanto as belas mulheres desfilam sua ideologia na grande mídia, as feias dominam outros espaços. Os salões de beleza, por exemplo. Locais onde suas teorias são compartilhadas e amplamente discutidas de forma gratuita e dissimulada. Foi em um prosaico salão de bairro que esta cronista tomou contato com essa filosofia e com aquele prognóstico terrível do primeiro parágrafo.

E não é só isso. Elas investem na contra-informação. No boca a boca, as muito feias são consideradas mais divertidas, melhores de cama, mais cultas e por aí vai.

A realidade parece confirmar esses fatos. Ou você nunca esteve no metrô, no shopping ou na escola e viu uma moça destituída de beleza formal – o fenômeno Rafinha Bastos já está a influenciar outras artes – no maior dos amores com algum mocinho? E se perguntou por que você, leitora amiga, só consegue algumas bitocas na balada?

Pois aqui se nasce com mais ou com muita beleza e aqui se paga.

As muito feias não perdoam.

Aline Viana

Anúncios

Sobre Aline Viana

Aline Viana nasceu em São Paulo, em 1981, mas prefere que não espalhem a que safra pertence. É formada em jornalismo. Cansada de tanto quem, o quê, quando, onde, como e porque resolveu entrar em um curso de crônicas. Foi um santo remédio para recuperar a saúde de seus textos. Se o diagnóstico está correto, você pode checar nos blogs: cronicasdas12.blogspot.com e semanalmente no vidasetechaves.wordpress.com . Novos pareceres são sempre bem-vindos. Ver todos os artigos de Aline Viana

14 respostas para “As muito feias não perdoam

  • Ricardo Gomes

    Aline, querida, se a sua teoria estiver a menos de um quilômetro da realidade e morar além do perímetro do salão de beleza que você frequenta, eu tenho uma péssima notícia pra você! Bom, melhor deixar pra lá…e torcer para que a tal teoria beleza x sexo x casamento esteja furada! Agora a minha opinião, facilmente comprovável, é de que de fato as feinhas se empenham mais, isso porque elas entram em campo com o placar adverso e acreditam piamente que o esforço compensa a falta de atributos visíveis. Já as bonitonas acham que ganham o jogo de véspera e que só o arrozinho com feijão já basta. Viu só? Futebol e relacionamento têm muito a ver. Como um torcedor crédulo no futebol-arte vou continuar acreditando que um dia Papai do Céu ainda vai me dar a oportunidade de conhecer um Neymar de saia! Se possível, não tão arrogante quanto ele. Deseje-me sorte!
    Um beijo.
    Ricardo

    • Aline Viana

      Essa teoria de que os menos bonitos se esforçam mais vale pra todo mundo. Tem meninos que, olhando a gente não dá nada, mas circula com um puta mulherão, rsrsrs
      Bem, com essa lábia, Ricardo, desconfio que a sua “Neymar” já esteja a caminho. 😉 Estou até de dedinhos cruzados por você, rsrsrs

      Bjs,
      Aline

      • Ricardo gomes

        E se a minha “Neymar” fosse você? Como saber? Aí a sua teoria estaria completamente comprovada!!! rs

  • maria olimpia alves de melo

    Uma crônica muito bem escrita embora eu não saiba ainda se concordo com a teoria teorizada aqui.

    • Aline Viana

      Olha, mas se vc já ficou balançada, as feias comemoram porque plantaram a semente da dúvida! Abaixo a hegemonia da boniteza, rsrsrs 😀

  • afonsobaiao

    Mas que sua crônica está bonita e gostosa de ler, isso não se discute…

  • Plínio Camillo

    Muito boa de ser ler …
    Porém muito difícil de concordar …
    Quais os parametros de beleza?
    Em qual espelho?
    Com qual olhar?

    Gostei de ler … bom …

    • Aline Viana

      Já se diz que a beleza está no olho de quem vê, mas nesse texto resolvi brincar um pouco justamente com essa questão dos padrões.
      Fico feliz mesmo que vc tenha gostado. Obrigada 🙂

  • Henrique Fendrich

    Impressão minha ou rolou uma cantada nesses comentários aí? hahaha

  • Henrique Fendrich

    Vou reparar melhor se essa história das feias é verdade. Acho um pouco difícil, pq demora um tempo até encontrar uma delas.

  • marinacostas

    Concordo com essa teoria hein… apesar de, como disse um amigo ai em cima, parâmetros de beleza ser algo difícil de precisar, pelo menos na nossa sociedade global, as “fora da mídia” acabam levando a melhor… pelo menos, encontrando companhias mais honestas!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: